O último integrante do grupo skinhead, acusado de participar da tentativa de homicídio contra um homossexual, em setembro, apresentou-se no final da tarde de ontem no Centro de Operações Policiais Especiais (Cope). Raul Salutte Filho (foto), 20 anos, apresentou-se com seu advogado, após ter sido intimado pelo delegado Marcus Vinicíus Michelotto. Em seu depoimento, ele confessou ter estado com o grupo no dia da tentativa de homicídio, mas negou ter participado do crime. Também são acusados de envolvimento na tentativa de homicídio Anderson Marondes de Souza, 21, preso na tarde de quinta-feira, Eduardo Toniolo Del Segue, conhecido como "Brasil", André Lipnharski e uma adolescente. "Além deles, existe mais um rapaz de São Paulo, conhecido por Jeferson, que receberá uma intimação para comparecer no Cope por ter participado do crime. Ele também é acusado de fazer parte do grupo dos "carecas" da capital paulista e de ser o responsável por trazer os adesivos racistas, que foram disseminados em Curitiba. "Com a apresentação dele, consideramos finalizado este inquérito de tentativa de homicídio", explicou o delegado.

Prisões

A prisão temporária do casal Edwiges e Eduardo Del Segue foi prorrogada. Edwiges está presa na Penitenciária Feminina de Piraquara enquanto Del Segue e Anderson Souza foram encaminhados para o Centro de Triagem de Piraquara. "Souza já está com prisão preventiva decretada. Agora vou pedir a prisão preventiva de Edwiges e Del Segue. Também foi prorrogada a prisão temporária de todos os outros envolvidos", explicou o delegado.

Depois da prisão do grupo neonazista, outras seis vítimas já compareceram no Cope reconhecendo o grupo como seus agressores em outros crimes. "Isto mostra que acertamos a quadrilha que estava agredindo as pessoas na rua há mais de dez anos", disse Michelotto.

Segundo ele, já existem relatos de outras tentativas de homicídio que serão investigadas.