A Secretaria da Segurança Pública anunciou nesta quarta-feira (30/05) a prisão de 346 pessoas suspeitas de envolvimento em diversos tipos de crimes. As prisões ocorreram durante a quarta etapa da Operação Liberdade, realizada em várias regiões do Paraná ao longo desta semana.

As ações foram desencadeadas depois de três meses de investigações e envolveram 626 policiais. Foram cumpridos 379 mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça. Houve apreensão de 298 quilos de drogas e 46 armas. De todas as prisões, 60% devem-se a ligações com o tráfico de drogas e homicídios.

O balanço da operação foi divulgado pelo secretário da Segurança Pública, Reinaldo de Almeida César, na 13ª. Subdivisão da Polícia Civil, em Ponta Grossa. “O combate sem tréguas ao tráfico de drogas e às altas taxas de homicídios do Estado é o grande objetivo do governo estadual. A operação foi muito positiva, como as outras edições que já foram realizadas no Paraná”, disse o secretário.

A Operação Liberdade foi iniciada em 2011, e é realizada constantemente com o objetivo de reprimir a criminalidade. “A medida atende a uma diretriz do governador Beto Richa de combate sem tréguas aos crimes ligados ao tráfico”, disse Almeida César. Segundo ele, em um ano e meio foram apreendidas 10 toneladas de drogas, incluindo três milhões de pedras de crack.

“O resultado desta operação demonstra a dedicação e o trabalho sério das nossas polícias e a capacidade das forças de trabalhar de forma cooperada”, afirmou o secretário. O trabalho foi coordenado pela Divisão Policial do Interior (DPI) da Polícia Civil, com a participação dos núcleos da Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc), Polícia Militar, Grupamento Aeropolicial-Resgate Aéreo (Graer), Polícia Federal, Ministério Público e do Poder Judiciário.

MICRO-TRÁFICO – De acordo com o delegado-geral da Polícia Civil, Marcus Vinícius Michelotto, a ação realizada nesta semana foi voltada ao combate ao chamado micro-tráfico, que vem crescendo nas cidades menores e é responsável por um elevado número de crimes em razão de disputas entre traficantes e violência contra usuários.

Para Michelotto, as prisões devem resultar em uma significativa redução no número de crimes. “Estamos tirando de circulação um grande número de pessoas que atuam no comércio de drogas. Sem a presença delas nas ruas a tendência é de redução nos índices de criminalidade e violência”, afirmou.

O secretário da Segurança Pública elogiou o trabalho da equipe da 13ª Subdivisão Policial, de Ponta Grossa, dirigida pela delegada Valéria Padovani. A região está há 35 dias sem registrar um único homicídio e atualmente contabiliza um índice de mais de 90% de elucidação de crimes de homicídio.

Almeida César também inaugurou a sede da Delegacia de Narcóticos (Denarc) e visitou o posto informatizado do Instituto de Identificação em Ponta Grossa. A agenda teve a presença do comandante-geral da Polícia Militar, coronel Roberson Bondaruk, e de diversos delegados divisionais.