Uma mulher de 33 anos foi presa suspeita de tentar matar uma colega de trabalho e sequestrar o bebê dela, de 30 dias. O crime aconteceu no dia 21 de agosto, na casa da vítima, no bairro São Braz.

Segundo a Polícia Civil, Diana Marçal Saraiva Sepeda foi até a casa de Roseli Leite de Lima, de 28 anos, para visitar o bebe recém-nascido, mas já pensando em sequestrá-lo. Diana teria aproveitado a confiança e de um momento de descuido da mãe do bebê para tentar fugir com a criança, mas a tentativa foi frustrada.

Roseli desconfiou, as duas teriam discutido, entraram em luta corporal, e Diana deu várias facadas contra a vítima, que acertaram a cabeça e o peito de Roseli. A tentativa de segurar a faca também fez com que uma das mãos da vítima fosse atingida.

Depois dos golpes, a moça teria caído no chão e foi aí que Diana aproveitou para, de novo, tentar pegar o bebê. “Mas mãe é mãe e a Roseli, mesmo bem machucada, conseguiu se levantar foi para cima de Diana, que desistiu e saiu da casa correndo com o celular da vítima”, contou a delegada Daniela Correa Antunes Andrade.

Na saída da casa de Roseli, Diana foi vista por alguns vizinhos e alegou que acabara de presenciar uma briga de casal. “Ela disse que presenciou tudo, que teria se envolvido para tentar separar e, por isso, estava cheia de sangue nas roupas. Os vizinhos acreditaram em primeiro momento e ela conseguiu escapar”, explicou a delegada.

Quando os vizinhos entraram, perceberam que Roseli estava sozinha na casa e descobriram que ela era a autora dos golpes na mulher. “Algumas pessoas até tentaram ir atrás dela, mas não conseguiram encontrá-la”. O Siate foi chamado e Roseli foi encaminhada às pressas ao hospital.

Tudo planejado

Segundo a polícia, Diana teria planejado tudo, porque queria simplesmente sequestrar o bebê de Roseli. As duas se conheceram no mercado onde eram colegas de trabalho e estreitaram amizade quando ambas teriam engravidado. Diana chegou a fazer chá de bebê para comemorar a chegada do filho.

“Acontece que ela disse ter perdido o bebê, mas por temer contar ao marido, disse para ele que tinha dado o filho para Roseli. Ela inventou uma história completamente contraditória, que nos leva a duvidar inclusive se ela, algum dia, esteve grávida”, disse a delegada.

Durante as investigações, os policiais descobriram que Diana, estava prestes a fugir. Foi aí que pediram pela prisão preventiva da suspeita, que foi encontrada no comércio do pai dela, escondida. “Ela chegou até a formatar o celular dela, acreditando que seria rastreada por ele. Já o aparelho da vítima, ela disse ter levado com ela para evitar que alguém visse as mensagens que elas teriam trocado”, explicou.

Defesa contraditória

Na delegacia, junto do advogado, Diana mostrou um pequeno ferimento em uma das mãos e alegou aos policiais que deu as facadas em Roseli para se defender. “Ela diz que durante a visita elas tiveram uma discussão e a vítima a teria atacado”. O depoimento não convenceu e ela continuou presa.

Ainda conforme a polícia, Diana entrou em contradição em muitos momentos, por não saber explicar parte da história. “Ela disse que estava grávida, que perdeu o bebê, mas também diz que fez o chá de bebê depois que já não estava mais grávida”. 

Segundo a delgada Daniela Correa Antunes Andrade, Diana será indiciada por tentativa de homicídio, por tentar matar Roseli, e tentativa de sequestro por, teoricamente, tentar levar o bebê da mulher. Ela ainda deve responder pelo roubo do celular da vítima e o mandado de prisão expedido não tem prazo para expirar.

As investigações continuam e os policiais do 12º Distrito Policial, devem, nos próximos dias, ouvir o marido de Diana. A polícia também quer saber se ela realmente esteve grávida ou se ela forjou a gravidez planejando sequestrar o filho da colega de ,trabalho. A polícia também não descarta a hipótese de que ela tenha abortado a criança, caso tenha realmente engravidado. “Se ela abortou, responderá por mais este crime”, explicou a delegada.

Paraná Online no Facebook