O investigador da Polícia Civil Joel Gilberto de Andrade, 45 anos, lotado na delegacia do Alto Maracanã, também conhecido como ?Joel Seco?, foi preso no final da tarde de ontem, em Araucária, quando visitava sua ex-mulher. Ele é acusado de vender um revólver calibre 38 para um preso recolhido no xadrez da delegacia onde trabalhava. O detento pretendia fugir na noite de ontem. O delegado Agenor Salgado Filho, chefe da Divisão Metropolitana, informou que Joel já tinha sido acusado anteriormente, em um caso semelhante, ocorrido no Centro de Triagem.

Quando dois investigadores da delegacia do Alto Maracanã foram entregar o jantar aos 58 detentos, espremidos nas celas que têm capacidade para apenas 16, foram rendidos pelo carioca André Luís Joth Ferreira, 22, preso por assalto contra ônibus. André estava armado com um revólver calibre 38. Mesmo acuados, os policiais tentaram sair do xadrez para chamar reforço, momento em que André disparou três tiros contra eles, mas não os feriu.

Os policiais conseguiram sair e chamar reforço. Com a fuga frustrada, os presos iniciaram uma rebelião. Após horas de negociação com o delegado José Mário Franco, titular da delegacia do Alto Maracanã, André se rendeu e o motim foi contido.

O delegado José Mário instaurou procedimento para apurar como a arma entrou no xadrez. André confessou que comprou o revólver por R$ 1 mil e acusou o investigador Joel Gilberto de efetuar a venda.

Como o investigador já respondia um procedimento por uma ação semelhante, ele teve a prisão preventiva decretada.