Uma nova prisão preventiva contra os policiais militares Juliano Vidal de Oliveira e Jean Adan Grott foi decretada pela Justiça. Os dois são acusados de integrarem uma quadrilha responsável por vários homicídios na região de Almirante Tamandaré, entre eles o assassinato de 21 mulheres. A prisão foi decretada pelo Juiz de Rio Branco do Sul, Guilherme Luiz Gomes. Ele se baseou no depoimento de testemunhas, que afirmaram que estão sofrendo ameaças de morte por parte dos policiais, que estão presos no Centro de Observação e Triagem (COT), em Curitiba, desde abril do ano passado.

Na última quinta-feira, o juiz recebeu a denúncia por homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver, apresentada pelo Ministério Público. Os soldados são acusados de assassinarem Douglas Greichiweski, 24 anos, e Genivaldo Tadeu dos Santos, 20 anos, no dia 2 de março do ano passado. Com diversas facadas, os corpos foram localizados em um matagal na localidade de Vuturuvu dos Espanhóis, zona rural de Itaperuçu. Os jovens foram encontrados, lado a lado, nus e já em estado de decomposição, quatro dias após a morte. De acordo com laudos de necropsia, os jovens foram torturados e receberam várias facadas.