Três homens envolvidos na venda de talões de Estar falsificados foram presos ontem, por policiais da Delegacia de Estelionato e Desvio de Cargas (DEDC). A polícia foi comunicada pela Secretaria de Trânsito, que recebeu a denúncia da venda dos blocos a lojistas. Os golpistas vendiam a cartela pelo mesmo preço da Urbs, de R$ 12. O talão é revendido a R$ 15 para motoristas. Com o trio, foram apreendidos 250 blocos falsos.

A polícia tenta descobrir em qual gráfica os blocos eram impressos. “Há mais gente envolvida. Nossas investigações estão em andamento, por conta disso não é possível contabilizar o prejuízo”, afirmou o delegado Cassiano Aufiero. O delegado explicou que os golpistas apresentavam o cartão de uma empresa de conserto e aproveitavam para dizer que também eram credenciados para vendera as cartelas do Estar.

Encontrados

Messias Roberto Luiz, 46 anos, e Renato Flores, 57, foram detidos pela manhã, na frente de um banco na Avenida Manoel Ribas, Mercês, com R$ 320 em dinheiro e 55 blocos. Os dois, conforme o delegado, vendiam os blocos fornecidos por Marcelo Ferreira Melo, 41. Marcelo foi preso em flagrante, à tarde, na Praça Carlos Gomes, centro, por policiais que se passaram por clientes. O restante dos blocos foi pego com ele.

As folhas, praticamente idênticas às vendidas pela Urbs, só não tinham a marca d’água e apresentavam o número de série repetidos. “Só conseguia perceber a falsificação quem comprava mais de um bloco”, analisou Aufiero.

O secretário de Trânsito, Marcelo Araújo, disse que o trabalho com a polícia foi recorde. Depois do recebimento da denúncia, foi feito em menos de dois dias. “Os lojistas devem buscar locais credenciados e postos da secretaria para comprar o Estar. Em caso de dúvida, devem nos informá-la”.

Veja na galeria de fotos o Estar falsificado.