A Delegacia de Furtos e Roubos prendeu, na manhã desta terça-feira (12), Anderson Freitas, 31 anos, suspeito de estelionato, falsidade ideológica e uso indevido de uniforme. Ele foi detido na rodoferroviária de Curitiba, depois de ter enganado a filha de uma policial. Mesmo sem ser militar, ele vestia farda do Exército Brasileiro e também tinha uniforme comumente usado por médicos, segundo a polícia.

?Ele provavelmente utilizava a farda e a roupa branca para abrir portas, para poder entrar em locais e conseguir coisas que, sem elas, não conseguiria. Freitas teria se casado com a filha da policial, em Foz do Iguaçu, mas todo o trâmite do casamento era falso. Ele enganava as garotas para utilizar seus cartões de crédito e tirar proveito da situação?, contou o delegado Rubens Recalcatti, titular da Delegacia de Furtos e Roubos.

A investigação começou quando a policial, de Foz do Iguaçu, desconfiou do rapaz e decidiu verificar o passado de Freitas. Ela descobriu que ele não era do Exército e repassou o caso para a Delegacia de Furtos e Roubos. Na seqüência das investigações, um encontro foi marcado na rodoferroviária de Curitiba com Freitas, para que ele pegasse sua suposta esposa que chegaria de viagem. Ele foi preso em flagrante quando ela chegou à rodoviária.

Outra

Na seqüência, os policiais foram até o apartamento de Freitas, na rua Marechal Deodoro, e lá encontraram mais uma moça, de Florianópolis, Santa Catarina, que ele também havia enganado. No apartamento estavam dois que pertenciam àquela moça, que ele supostamente venderia.

No local também foram encontrados uma calça e jaleco brancos e uma agenda de telefones com contatos de diversos hospitais e quartéis. ?A princípio, temos a informação do golpe contra estas duas moças, mas é provável que surjam mais mulheres com a divulgação da imagem dele. Também não sabemos ainda de quer forma ele usava a farda e o uniforme de médico para se beneficiar e futuramente poderemos descobrir mais problemas relacionados ao suspeito?, contou o delegado Rubens Recalcatti.