Treze suspeitos de integrar quadrilha de traficantes de drogas, que agia principalmente na Cidade Industrial, foi desmantelada pelo 8.º Distrito Policial. A especialidade do grupo, segundo a polícia, era vender maconha com grife e mais forte. Os tabletes tinham tarja escrita “John John”, com uma caveira no meio.

De acordo com o delegado Renato Figueiroa, o líder da quadrilha, Felipe Godoi de Oliveira, 23 anos, trabalhava com pequenas quantias, adquiridas semanalmente e distribuídas a traficantes menores. Para provar a liderança do rapaz, a polícia contou com interceptações telefônicas e monitoramento de locais e de veículos usados pelo suspeito. “A gente sabia que quando o pegasse, ia ser no máximo com uma arma. De fato, pegamos ele só com uma pistola”, explicou Figueiroa.

Pelas investigações, Felipe liderava pelo menos sete traficantes menores. Um deles, de 17 anos, montou sua própria cadeia de distribuição e venda, com sete envolvidos, incluindo dois parentes. Todos foram presos. Além das prisões da manhã de ontem, 10 suspeitos já tinham sido presos no decorrer da investigação.

Detidos

Ontem, foram presos, suspeitos de integrar o esquema, além de Felipe: Murilo dos Santos Paula Franco, 20 anos; Henrique de Araújo Cavalheiro, 21; César Augusto Calixto Gradovski, 24; Célia Fátima da Silva, 50; Márcio Luiz Silva, 36; Jonatas Gasola da Silva, 24; Jonatta Pinheiro Moreno, 23; Giovanny Raphael de Souza, 25; Michael Rogers Santana, 33; Danielle Ferreira Paixão, 20; Kassy Jones Franklin Maciel Ferreira, 21; e Edlon Rodrigues Nunes, o “Israelense”, 20.

As investigações começaram em agosto, e desde então, os policiais apreenderam duas pistolas, munições de calibre 45, aproximadamente 20 quilos de maconha, três balanças de precisão, cocaína, lança-perfume e LSD. Já na ação policial de ontem, foram apreendidos uma pistola 380, um simulacro de uma pistola calibre 40, maconha, ecstasy, pontos de LSD, crack e duas balanças de precisão. A maconha com a identificação John John, explicou o delegado, tem alto teor de THC, substância ativa da maconha. O quilo é vendido a cerca de R$ 1.500, quando a maconha comum é vendida a R$ 1 mil o quilo, em Curitiba.