O delegado-chefe da Delegacia de Estelionato e Desvios de Carga (DEDC), Marcus Vinícius Michelotto, finalizou nesta terça-feira (29) o inquérito que indicia pelo crime de extorsão o apresentador, jornalista e ex-deputado Ricardo Chab, o advogado Antônio Neiva de Macedo Filho e o presidente da Câmara de Colombo, vereador Onéias Ribeiro de Souza. O inquérito será remetido à Justiça.

De acordo com Michelotto, as provas colhidas, os depoimentos de testemunhas e as versões contraditórias dos suspeitos, foram decisivas para confirmar o indiciamento dos três, por extorsão. O delegado também vai enviar à Justiça todas as gravações de conversas telefônicas feitas pela vítima e também pela polícia com autorização judicial. ?Ouvimos diversas testemunhas que confirmaram o esquema de extorsão?, afirmou o delegado.

Na segunda-feira (28), Michelotto ouviu o vereador Onéias Ribeiro de Souza, que alegou ter sido convidado para dar depoimentos testemunhais em favor da empresa Centronic na Rádio Mais, de propriedade de Ricardo Chab.

?Cada um alega uma coisa. Chab garante que não sabia de nada, o vereador alega ter sido contratado para dar um testemunho e o advogado disse que o dinheiro seria fruto de inserções comerciais compradas pela Centronic. As versões dos três são diferentes e se contradizem para a polícia?, explicou o delegado.

Onéias Ribeiro de Souza foi indiciado e deve responder em liberdade. Ricardo Chab e o advogado Antônio Neiva de Macedo Filho continuavam presos na manhã desta terça-feira, em uma cela especial do Centro de Triagem de Piraquara (CT II).

Acusações

Chab e Macedo Filho foram presos na manhã de sexta-feira (25), suspeitos de extorquir o proprietário da empresa Centronic, Nilso Rodrigues de Godoes, para não divulgar casos que expusessem a imagem da empresa negativamente. Com o advogado, os policiais apreenderam uma maleta com os R$ 35 mil, que teriam sido pagos pela empresa minutos antes das prisões. Toda a operação foi acompanhada pelo juiz Pedro Luís Sanson Corat, da Vara de Inquéritos Policiais e também por representante do Ministério Público. O advogado preso com Chab é o mesmo que defendeu o vigia Marlon Janke, que participaram da morte do estudante Bruno Strobel Coelho, em 2 de outubro do ano passado.