O governador Roberto Requião determinou a revisão do contrato com o Consórcio Paraná Mais Seguro, que opera o sistema de identificação de placas de veículos, denominado “Polícia Digital”, utilizado para recuperar carros roubados no Estado. Uma comissão vai analisar o processo de licitação do contrato de 24 meses, no valor de R$ 12 milhões, firmado pela administração anterior.

“Não podemos pagar R$ 500 mil por mês para um sistema contratado há um ano e que não trouxe nenhum benefício”, afirmou o governador, na reunião com o diretor executivo do Consórcio, Paulo Borgest Kobylanski, da qual participou inclusive o presidente da Copel, Paulo Pimentel.

O diretor do consórcio mostrou no pátio do Palácio Iguaçu, como funciona o equipamento. Segundo ele, foram localizados, no ano passado, 137 veículos roubados no Estado, através do sistema. Para Requião, “o sistema é útil, mas caríssimo e não está funcionando adequadamente”.