Policiais da delegacia de Araucária, Região Metropolitana de Curitiba, prenderam, nesta quinta-feira (18), um dos três suspeitos de ter matado e esquartejado o presidiário Valdercir da Silva, 40 anos, em 29 de maio. De acordo com o delegado Rubens Recalcatti, titular da delegacia, Anderson Habinoski Soares, 18, está detido, e os outros dois envolvidos no crime estão com mandados de prisão expedidos e são procurados pela polícia.

Pedaços do corpo foram encontrados em uma mala nas cavas do bairro São Francisco em Araucária. O delegado relatou que Valdecir cumpria pena na Colônia Penal Agrícola por roubo e tinha sido liberado, naquele dia, para passar o fim de semana em casa, no bairro Campina da Barra, no mesmo município. Além de Anderson, são suspeitos de participar do crime Rudinilson Martins, 23, e Joel de Lima Farias, 29, conforme informado pelo delegado.

Recalcatti explicou que investigações apuraram que Martins assassinou e esquartejou a vítima. De acordo com a polícia, Silva foi assassinado no quarto de sua residência, com golpes na cabeça, acarretando sua morte por traumatismo craniano. “Depois, ele foi esquartejado, colocado em uma mala, ensacado e jogado nas cavas”, disse o delegado. Em depoimento, Habinoski afirmou que, quando ele e Farias chegaram ao local, a vítima já estava morta, e os dois auxiliaram na ocultação do cadáver.

Além de encontrar partes do corpo na mala também foram encontradas partes do corpo na própria cava. “Um desses membros estava tatuado com nomes de familiares da vítima e nos ajudou na elucidação do crime”, explicou. A faca utilizada no crime foi apreendida pela polícia na casa de um dos suspeitos.

A motivação do homicídio ainda está sendo investigada pela polícia. Habinoski já está detido à disposição da Justiça acusado de homicídio. “Os outros envolvidos continuam sendo procurados e logo estarão também atrás das grades”, afirmou Recalcatti.