Policiais civis do Grupo de Diligências Especiais (GDE) da 15ª Subdivisão Policial de Cascavel prenderam nesta segunda-feira (20), os autores de um latrocínio ocorrido na madrugada do dia 25 de março, em uma estrada rural de Cascavel tendo como vítima Hamilton Jose da Silva Lisboa, 41 anos.

De acordo com a polícia, a vítima era funcionário do Instituto Emater e estava de passagem pela cidade. Segundo os acusados, eles foram abordados pela vítima em Lindoeste. No dia do crime, a vítima ligou para um deles e vieram para Cascavel. Alcoolizados, foram até o local onde se desentenderam e deram várias pedradas contra Hamilton.

Eles relataram ainda que, após o crime, abandonaram o corpo e seguiram com o veículo da vítima. Eles ainda deixaram o carro em um lago em uma pedreira no município de Santa Lúcia. O delegado chefe da Subdivisão, Amadeu Trevisan Araújo, pediu a prisão preventiva dos acusados, que foi cumprida na tarde desta terça-feira (21), em Lindoeste

Segundo o delegado, que coordenou pessoalmente as investigações, “o crime de latrocínio por si só já é repugnante, pois matar alguém com o objetivo da subtração de algum bem é inadmissível, já que além dos bens materiais, o autor do crime leva o bem maior, que é a vida humana, e nesse caso em especial nos chamou a atenção e da comunidade cascavelense pela violência com a qual foi praticado”. O delegado destaca ainda a importante colaboração solicitações, “essas prisões só foram possíveis graças a isto”, disse.