Equipes do Núcleo de Repreensão a Crimes Econômicos (Nurce), da Polícia Civil, cumprem mandados de busca e apreensão nesta quinta-feira (8) contra uma quadrilha envolvida em comércio ilegal de ouro em Curitiba e em Paranaguá, no Litoral do Paraná. Ao todo, foram expedidos pela Justiça 40 mandados judiciais. Sete pessoas foram presas.

Os alvos da operação, batizada de “Comendador”, são ourives que atuam clandestinamente no mercado. De acordo com a Secretaria de Estado da Segurança Pública, até às 11h15, foram apreendidos R$ 14,5 mil em dinheiro, joias, um revólver calibre 32, munições de calibre 380, cilindro de gás e demais equipamentos usados para derreter ouro.

Segundo o Nurce, o ‘modus operandi’ dos integrantes da quadrilha era “simples”: eles adquiriam as joias e as derretiam imediatamente para que o ouro não pudesse ser rastreado. Depois, revendiam o material para outros estabelecimentos.

As investigações que levaram às prisões se iniciaram há quatro meses, após solicitação da Associação dos Relojoeiros e Joalheiros do Estado do Paraná. Os alvos da operação são investigados pelos crimes de associação criminosa, receptação, sonegação fiscal e lavagem de dinheiro.

Os trabalhos desta quinta-feira mobilizam 70 policiais civis e envolvem também equipes da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e do Núcleo de Crimes Cibernéticos (Nuciber).