O Paraná é o Estado da Federação com menor número de assaltos a joalherias. O dado da Associação de Joalheiros e Relojoeiros do Paraná (Arjep) mostra como o trabalho da Polícia Civil vem sendo eficiente no combate a esse tipo de crime.

Todavia, faz com que, tanto policiais como joalheiros se preocupem cada vez mais para manter ou reduzir ainda mais esses números. Na tarde desta quinta-feira (11), na sede do Departamento da Polícia Civil, em Curitiba, o presidente da Arjep, Tufy Karam Geara, conversou com o delegado-geral da Polícia Civil, Marcus Vinícius da Costa Michelotto, e com delegado titular do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), Hamilton da Paz, sobre formas de coibir os crimes contra joalherias.

Paz destacou que este tipo de encontro só traz benefícios no trato específico de crimes desta ordem. “Estamos estudando uma cartilha para os joalheiros, para a transmissão de um sistema mais elaborado em termos de segurança”, explicou o delegado, lembrando que esta cartilha será distribuída também em São Paulo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul.

Geara afirmou que a reunião discutiu uma nova reformulação para a melhoria do sistema. “A nossa ideia é uma vistoria nesses locais de vendas, para que o grupo integrado nesse caso possa ajudar”, afirmou.