MST faz marcha contra
latifúndio em Manoel Ribas.

Um grupo de fazendeiros e funcionários das fazendas da região Central do Estado foi impedido pela Polícia Militar, na tarde de ontem, de chegar até a Fazenda Três Marias, em Manoel Ribas. A propriedade de 980 alqueires foi ocupada no último dia 12 de maio por 350 famílias ligadas ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST). Desde então foi criado um clima de tensão entre os ruralistas e os trabalhadores. Anteontem, as ameaças de que os fazendeiros fariam a reintegração de posse por conta própria era grande. Tanto é que isso só não aconteceu devido à presença de cerca de 5 mil trabalhadores que participaram de uma marcha contra o latifúndio, no centro de Manoel Ribas, e em seguida caminharam 22 km até a fazenda ocupada.

O coordenador do MST na região central do Estado, Adelir de Lima, afirmou que os fazendeiro vêm fazendo pressão contra os trabalhadores utilizando as emissoras de rádio locais. “Eles divulgam pelas rádios que vão retirar os sem-terra e que vão usar armas com registro. Como se armas com registro não ferissem”, destacou, lembrando que ontem quatro viaturas da PM impediram a chegada dos jagunços. Lima disse que a situação na região é muito tensa e que a ação dos ruralistas vem causando pânico não só nos sem-terra, como na população da cidade.

O presidente do Sindicato Nacional dos Produtores Rurais (Sinapro), Narciso da Rocha Clara, disse que eles vão cercar a fazenda, impedindo a entrada e saída da propriedade, até que a PM cumpra a ordem judicial de reintegração de posse e de prisão dos trabalhadores. Os sem-terra podem ter problemas caso necessitem de serviço de saúde. Além disso, algumas crianças que estudam na cidade teriam que faltar às aulas.

O governo do Estado pretende negociar uma desocupação pacífica. Segundo Narciso, ontem, os produtores foram interceptados a cerca de 1 km da propriedade. “O protesto é ordeiro e pacífico”, disse, alegando que os fazendeiros estão desarmados e ameaçando processar o governo do Estado “se rolar uma gota de sangue”.

Narciso Clara fez um apelo ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva para que tenha o “bom senso” de enviar a Polícia Federal e, se for o caso, até o Exército para cumprir a ordem judicial. A Fazenda Três Marias tem laudo de produtividade expedido pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) em 1998. A produtividade é contestada pelos sem-terra, que afirmam que apenas 10% da área é utilizada para produção.