O fio da meada que pode chegar a uma quadrilha de furtos de caixas eletrônicos, atuante em todo o País, foi encontrado pela Polícia Federal na madrugada de quarta-feira, quando três homens tentaram furtar um terminal do banco Bradesco, em Ponta Grossa. Desde fevereiro estavam sendo realizadas investigações em torno de um grupo de moradores de Joinville (SC), que seriam os componentes dessa quadrilha. Ela agia com base em informações privilegiadas, passadas por Victor dos Santos, 38 anos, funcionário de uma empresa de abastecimento de caixas eletrônicos de Ponta Grossa e região.

De acordo com o delegado da Polícia Federal e chefe da Delegacia de Proteção a Crimes Contra o Patrimônio (Delepat), Beno Loewenstein, denúncias e trabalhos investigativos indicavam que seria realizado um furto no caixa 24 horas do Bradesco, localizado na Avenida General Carlos Cavalcanti, em Ponta Grossa. Por este motivo, policiais mantiveram vigilância no local até que, por volta das 3h, apareceram dois indivíduos na moto Honda placa AMJ-6997, que se dirigiram para a parte posterior do caixa. Quando perceberam a movimentação das viaturas, os criminosos tentaram fugir, mas foram pegos aproximadamente um quilômetro e meio adiante. Victor, que aguardava, dentro do Gol placa LYG-2423, o momento de abrir a porta do cofre, depois que seus colegas arrombassem a porta de acesso a ele, também foi detido.

Jucimar de Jesus D’Ávila, 39, e o comparsa, identificado inicialmente como Lesley Lima de Araújo, foram presos. Mais tarde a polícia descobriu que Lesley portava documentos falsos, e que seu nome verdadeiro é Jefferson Paulo Amarante de Araújo, 38. No Gol foram encontradas duas chaves falsas, que seriam utilizadas para a abertura dos cofres daquele terminal. Em buscas realizadas posteriormente na casa de Victor, foram apreendidas outras chaves do mesmo tipo, aparelhos para tirar moldes de chaves originais e alavancas para abertura dos cofres do Bradesco. Também foi apreendido o veículo Eclipse placa CMN-6081, que era utilizado por Jefferson para sondar a movimentação dos terminais eletrônicos que seriam furtados.

Os três bandidos confessaram o crime. Victor ainda revelou ter participado de um furto a um caixa do Itaú, instalado na Prefeitura Municipal de Carambeí, e outro a um caixa do Bradesco, situado no Pronto Socorro de Ponta Grossa. Nestas duas investidas, acredita-se que ele tenha levado R$ 62 mil. Ele também confessou o fornecimento dos moldes das chaves que abrem um caixa eletrônico do Bradesco, no centro de Ponta Grossa – furto que provavelmente ocorreu em setembro de 2004 e teria sido executado por pessoas residentes em Joinville.

Jefferson é fugitivo da penitenciária de Curitibanos (SC), onde cumpria pena por furto a uma lanchonete e roubo de carro. Jucimar não tinha passagens pela polícia. Eles afirmam que foi a primeira vez que se envolveram em furtos a caixas eletrônicos. As investigações apontavam a possível participação de um quarto individuo, integrante da quadrilha de Joinville, que por um motivo desconhecido não participou do crime na madrugada de quarta-feira. Os detidos encontram-se na cadeia de Ponta Grossa, à disposição do juíz.