Um funcionário concursado dos Correios foi preso, na manhã de ontem (27), pela Polícia Federal (PF) por furtar joias de encomendas de joalherias. O empregado trabalhava na Diretoria Regional do Paraná-Agência João Negrão, centro de Curitiba, segundo informou a PF. O nome, a idade e função do preso não foram divulgados.

De acordo com a PF, o empregado era investigado há cerca dois meses depois que foi flagrado por câmeras de segurança instaladas na agência desviando objetos. No armário dele, os agentes da PF encontraram dois relógios das marcas Rolex e Armani, além de alianças e pingentes. Na residência do suspeito, a polícia encontrou mais joias, grande quantia em dinheiro, que está sendo contabilizada, e um extrato de conta poupança com mais de R$ 100 mil.

Segundo a PF, o homem revendia as joias que furtava e aplicava o que ganhava na poupança. Um Rolex, por exemplo, foi retirado de uma caixa onde havia outro relógio, que não foi furtado.

“Ele já vinha há algum tempo violando as embalagens, vindas de joalherias, como da Bergerson, e de lá extraia relógios da marca Rolex, de preferência, alianças, pingentes e todo o tipo de joia que ele encontrava”, disse o delegado Rubens Lopes da Silva.

O rapaz foi encaminhado para a Superintendência da PF no Paraná, no Santa Cândida.

Em nota, a Diretoria Regional dos Correios no Paraná confirmou que sistemas de segurança da empresa detectaram irregularidades no fluxo postal e que, partir disso, foi solicitada a colaboração dos órgãos públicos de segurança para apuração. A empresa ainda esclareceu que já instaurou procedimento administrativo, com amplo direito de defesa.