Oito pessoas foram presas ontem em uma operação conjunta da Polícia Federal e da Receita Federal, em Foz do Iguaçu. Outras três detenções ocorreram simultaneamente no Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul. Os onze detidos pela operação “Ubatuba” estariam ligados à remessa ilegal de fumo para indústrias paraguaias. De acordo com as investigações da PF, Foz é sede do esquema criminoso, que tem ramificações nos dois outros estados.

Segundo a PF, o fumo saía do Rio Grande do Sul e era exportado para o Paraguai por empresas que utilizam documentos falsos. Ainda não se sabe o volume da mercadoria movimentada, mas a Receita Federal calcula que somente nos últimos dois meses cerca de R$ 1,5 milhão em impostos foram sonegados. As investigações sobre sonegação fiscal, contrabando, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha começaram há seis meses e, mesmo após as prisões efetuadas ontem, vão continuar.

Fraude

O esquema consiste basicamente na remessa fraudulenta de fumo ao Paraguai e na simulação de exportações de vários produtos para o País vizinho, beneficiando-se de incentivos fiscais. No entanto, as vendas eram feitas no mercado interno, sem pagamento de impostos.

Foram presos ontem em Foz: Roque Pandolfo, José Luiz do Nascimento (conhecido por “Coca”), Lenil Farias Filho, Walmor Antonio Marchiotti, Edlane Donã, Valdemir Donã Júnior, Itamar Madureira e Argeu Morara. Em Sobradinho (RS) foram detidos Roy Daniel Taichmann e Martinho Liselio Luchese, e, no Rio de Janeiro, André Luiz Costa Vianna.