A Polícia Federal prendeu nesta quinta-feira (03), na Operação Cargueiro, seis suspeitos de integrar uma quadrilha especializada em roubo e receptação de cargas que causou prejuízo de mais de R$ 1 milhão. O grupo assaltava caminhoneiros na BR-116 e revendia os materiais para pequenos empresários de Curitiba e Colombo. Três presos eram assaltantes e os outros três empresários. Falta apenas cumprir um mandado de prisão contra um dos ladrões. Os nomes não foram divulgados.

Segundo a Polícia Federal, as investigações começaram em outubro do ano passado, depois que um caminhão dos Correios foi roubado na rodovia. Motoristas que passavam pela BR-116 perceberam a ação dos bandidos e chamaram a Polícia Rodoviária Federal (PRF), que encontrou o veículo abandonado no quilômetro 25, em Campina Grande do Sul. Os bandidos, que trocaram tiros com os policiais, conseguiram fugir.

Ao identificar os assaltantes, a PF descobriu que a quadrilha também roubava outros tipos de produtos, que eram vendidos a 40% do valor de mercado, estipulado nas notas fiscais. Entre os equipamentos preferidos dos bandidos estavam aparelhos eletrônicos, roupas e bebidas. Os presos serão indiciados por roubo qualificado, tentativa de homicídio e associação criminosa.

Araucária

Coincidentemente, a Polícia Rodoviária Estadual (PRE) atendeu a outro roubo de carga do Sedex, na madrugada de ontem, em São José dos Pinhais. Parte do material foi recuperado. Segundo relato do caminhoneiro aos policiais, ele vinha de São Paulo e foi fechado por uma van e um carro, por volta das 4h30, quando saía do Contorno Leste para entrar na BR-277.

O motorista foi levado até o quilômetro 14 da PR-423, que liga Campo Largo a Araucária, onde os marginais colocaram na van apenas algumas encomendas escolhidas. O motorista chamou a polícia às 6h30. Os assaltantes não foram localizados.

Cargas

Segundo o delegado Marcelo Lemos de Oliveira, titular da Delegacia de Estelionato e Desvio de Cargas (DEDC), existem cargas que são roubadas com frequência, como cigarros e alimentos, mas os cigarros têm sido crimes cometidos dentro das cidades. Outras cargas geralmente alvo de quadrilhas são vergalhões de ferro, bebidas, móveis e combustíveis.