t8a220105.jpg

Fabrício carregava consigo citações bíblicas.

Fabrício Gomes dos Santos, 29 anos, foi perseguido e morto no carreiro que liga a Vila Tripa ao Jardim Vitória I, no Umbará, atrás do cemitério Parque São Jorge. O crime ocorreu no fim da tarde de ontem. Apesar da correria e dos tiros, o corpo só foi descoberto por um homem que voltava para casa, pouco antes das 17h. Ninguém reconheceu Fabrício como morador da região, e o caso virou mistério para a polícia esclarecer.

No começo do carreiro, próximo a uma ponte de madeira, Fabrício largou duas sacolas grandes de roupas, indicando o ponto onde começou a ser perseguido pelos assassinos. Segundo um rapaz, que não quis se identificar, dois homens estariam correndo atrás da vítima. Pelos levantamentos preliminares da perita Jussara Joeckel, da Polícia Científica, o homem foi morto com tiros na cabeça, mas somente exames complementares poderão precisar quantos projéteis atingiram a vítima.

Roupas

Em uma das sacolas foi encontrado um caderno, no qual constavam citações bíblicas e indicações de versículos e salmos. Dentro do caderno havia um crachá da Igreja Batista Shalon e, em uma etiqueta amarrada na alça estava escrito o nome da vítima e a identificação da igreja Nova Aliança.

No bolso de Fabrício foi recolhida uma carteira com R$ 1,00 e alguns documentos, além da carteira de trabalho. Segundo um morador que, por curiosidade, observava o trabalho da polícia, Fabrício trabalhava como chapa da Ceasa. Dentro da carteira também foi encontrado, pelos investigadores Robert e Emerson, um boletim de ocorrência, no qual Fabrício era vítima de um assalto.