Brigas e discussões resultaram na morte do auxiliar de serviços gerais Hélcio Cesar de Oliveira Pilar, 23 anos, por volta das 23h de domingo, no bairro Orleans. Após se desentender com um grupo de rapazes e, horas depois, bater boca com um indivíduo, ele foi perseguido e assassinado com dois tiros, na Rua Aldo Kepler da Silva. O motivo do crime não foi apurado, mas familiares do rapaz confirmaram que ele já havia sido preso e vivia na companhia de desocupados.

O delegado Rubens Recalcatti informou que, horas antes do homicídio, Hélcio se envolveu numa confusão, na Avenida Vereador Toaldo Túlio. “Houve tumulto envolvendo dois grupos e ele estava no meio. A Polícia Militar dispersou os bandos”, disse.

Perseguição

Mais tarde, Hélcio participou de outra discussão e foi visto correndo, fugindo de atiradores. “Ele foi baleado na rua, correu por alguns metros e, mesmo ferido, jogou-se sobre um muro pré-fabricado, para tentar se esconder, mas os ferimentos foram fatais”, contou Recalcatti.

A polícia deverá ouvir amigos de Hélcio para tentar identificar os criminosos. “Um dos amigos foi identificado como “Polaquinho’ e estava com ele pouco antes do crime”, afirmou o delegado. “Além dos amigos, vamos ouvir os familiares, para que eles nos apontem motivos para o rapaz ter sido morto”.