Reprodução
"Roberto": 1,70 m, 70 quilos.

Apesar de Rogério Soares de Araújo, 25 anos, negar a participação no latrocínio (roubo com morte) ocorrido em 7 de dezembro do ano passado, no bairro Seminário, em Curitiba, os laudos periciais realizados no local do crime e nas roupas do acusado provaram o contrário. De acordo com o delegado Rubens Recalcatti, responsável pelo caso, graças aos exames realizados pelo Instituto de Criminalística, foram obtidas evidências para incriminar o suspeito. A confrontação das amostras de sangue retiradas da roupa do suspeito e do local do crime coincidiram, dando resultado positivo. Atualmente, Rogério é interno do Sistema Penitenciário.

O delegado aproveitou para divulgar o retrato falado do outro participante do latrocínio, que até o momento não foi identificado. Trata-se de um homem com idade entre 20 e 25 anos, conhecido por Roberto, e que mede 1,70m de altura. Informações sobre o paradeiro e identificação do desconhecido devem ser repassadas para o telefone 3262-2800.

Crime

Por volta das 22h do dia 7 de dezembro, dois homens invadiram a residência, quando a moradora chegava de carro. Ela foi rendida e juntamente com a empregada, levada para dentro da casa. O esposo da vítima, o médico aposentado Edson de Souza Motta Paes, 60 anos, ao pressentir que bandidos haviam entrado na casa, armou-se com um revólver e tentou reagir ao assalto. Ele foi baleado e morto. Entretanto, um dos marginais também foi ferido e preso ao internar-se no Hospital do Trabalhador.