Os pais do garoto Ewerton de Lima Vicente Gonçalves estiveram ontem pela manhã no Instituto de Criminalística para colher material para ser feito um novo exame de DNA, para comprovar que o corpo encontrado no dia 16 de fevereiro de 1989 é mesmo o de Ewerton.

O perito Marcelo Malequino, do Instituto de Criminalística, adiantou que o resultado demorará em torno de 60 dias. Ele explicou que há possibilidade de não obter um exame conclusivo, já que serão analisados fragmentos osseos.

O oficial José Vicente Rossini Gonçalves, 44 anos, e a dona-de-casa Eliane de Lima Gonçalves, 37, aguardam pela confirmação desde 2001, quando receberam anonimamente a cópia de um laudo emitido pelo Instituto de Criminalística de São Bernardo do Campo (SP). O documento se referia à morte de um menino encontrado dentro de um saco, com sinais de espancamento, na vegetação à margem do quilômetro 36 da Rodovia dos Imigrantes, naquela cidade do ABC paulista. Os pais reconheceram Ewerton pelas fotos, onde o rosto aparece com nitidez. Agora, com um exame mais moderno e minucioso, a esperança do casal é que o mistério chegue ao fim.