O único distrito que ainda recebia presos na capital, o 12.º DP (Santa Felicidade), foi interditado na última quarta-feira. A intervenção ocorreu, segundo a Vigilância Sanitária, devido à superlotação e falta de estrutura adequada para abrigar os detidos. De agora em diante, segundo informou a Secretaria da Segurança Pública, todos os detidos na capital serão levados ao Centro de Triagem (CT) II, em Piraquara.

No dia em que foi notificada, na última quarta-feira, a delegacia tinha 144 presos, num espaço projetado para apenas 26. Desde então, parou de receber detidos e ontem, possuía 136 pessoas, porque oito já saíram por alvará de soltura. De acordo a Sesp, assim que a carceragem for sendo liberada, deverá passar por reformas. Acredita-se que, depois disso, a delegacia continue recebendo presos, ao contrário do 11.º DP (CIC), interditado mês passado, que segundo seu titular, Gerson Machado, deverá ter a carceragem reformada para outros fins.

Complicado

Com essas interdições, apenas o 9.º DP, no Santa Quitéria, com carceragem exclusivamente feminina, continua a receber detidas. Lá, há 50 mulheres num espaço para apenas 16.

Agora, apenas algumas delegacias especializadas, como a de Furtos e Roubos (DFR) e de Furtos e Roubos de Veículos (DFRV) recebem detidos na capital. A DFR, explicou o delegado Luiz Carlos Oliveira, tem 60 pessoas, num espaço que deveria ser apenas transitório e abrigar no máximo 10 detidos. O delegado explica que, em breve, deve encaminhar um projeto à Sesp, sugerindo acabar com a carceragem no local.

Já a DFRV, que abriga detidos em crimes de sua especialidade e também policiais, preferiu não divulgar a situação de sua carceragem.