Blitz em Colombo resultou ontem em
sete prisões, dois desmanches fechados,
seis carros recuperados e apreensão
de uma arma e 75 pedras de crack.

Viaturas das polícias Civil e Militar movimentaram a região do Alto Maracanã, em Colombo, durante uma operação especial realizada na manhã de ontem. O resultado da “Operação Metropolitana Norte” foi de sete pessoas presas; 75 pedras de crack e uma arma apreendidas; seis veículos recuperados e dois desmanches estourados. O delegado Agenor Salgado Filho, chefe da Divisão Metropolitana de Curitiba, coordenou a operação e informou que serão efetuadas outras iguais nas áreas Sul, Leste e Oeste. “O objetivo é dar segurança para a população da Região Metropolitana. Queremos reduzir a criminalidade nesta área”, explicou o delegado.

As cidades da Região Metropolitana, de acordo com a polícia, estão servindo de abrigo para os marginais. “Precisamos combater principalmente o furto e roubo de carros e o tráfico de drogas. No Alto Maracanã o maior problema são os carros furtados em Curitiba e levados para Colombo para desmanche”, ressaltou o policial, lembrando que a maioria dos ladrões de carros de Colombo vende peças dos veículos para comprar drogas, informou. Salgado solicitou à população que colabore com a polícia, denunciando os crimes e os criminosos nas delegacias da Região Metropolitana. O delegado-geral, Jorge Azôr Pinto, apóia as operações e ontem esteve na delegacia para acompanhar de perto o trabalho.

Operação

Ao todo, foram utilizadas 15 viaturas da Polícia Civil – sendo pelo menos uma de cada delegacia da Região Metropolitana, duas do Centro de Operações Policiais Especiais e uma da Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos -, além de outras 12 da Polícia Militar, que servem ao 17.º Batalhão, Rádio Patrulha, Canil e Ronda Ostensiva de Natureza Especial (Rone). Os militares foram coordenados pelo tenente-coronel Nelson Marusiak, comandante do 17.º Batalhão. “Ao todo foram mais de 50 policiais. Todos os delegados da Região Metropolitana participaram. É importante a integração das policias Civil e Militar para combater a criminalidade”, salientou Salgado.

Os policiais tiveram o apoio de um helicóptero, cedido por um empresário da capital. Enquanto as várias equipes participavam da operação por terra, o helicóptero sobrevoava os locais, dando apoio e filmando a região, para que a polícia possa fazer um levantamento minucioso de toda a área, localizando barracões, matagais e outros locais que podem ser usados por criminosos.