Dando continuidade à operação batizada de Sentinela, a delegacia da Receita Federal de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, juntamente com a Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreenderam ontem 11 veículos abarrotados de contrabando trazido do Paraguai.

Os carros seguiam por uma estrada rural nas proximidades de Foz do Iguaçu quando foram surpreendidos pelos policiais, que fizeram um trabalho de inteligência prévio. Em dez carros havia cigarros, e no último, isqueiros. Somente cinco pessoas foram presas, sendo que outras seis conseguiram escapar.

Os veículos apreendidos tinham placas de várias cidades, como São Paulo e Aparecida, do estado de São Paulo; e Cascavel, Salto Itararé e Foz, no Paraná. O delegado da Receita em Foz, Rafael Dolzan, não precisou a quantidade de contrabando apreendido, pois tudo estava sendo contado, mas disse que os carros estavam lotados, com espaço apenas para o motorista.

Dolzan também explicou que a forma de ação das quadrilhas varia bastante, e que elas optam por estradas vicinais para fugir da fiscalização da BR-277. Segundo ele, em algumas situações os quadrilheiros levam a mercadoria para determinado local, onde outra pessoa as reúne e encaminha para o destino.

Há também situações em que os próprios motoristas encaminham o material contrabandeado para quem encomendou. “Mas as quadrilhas são muito organizadas”, comentou o delegado.

Os veículos apreendidos não são furtados. Como explicou Dolzan, é muito comum que os bandidos financiem veículos novos para serem utilizados no crime. E também é comum que eles façam os financiamentos em nome de “laranjas” e que deixem de pagar as parcelas. O delegado alertou que o trabalho da operação é baseado em investigação e inteligência.

Na manhã de ontem, em outra fiscalização (dessa vez no posto da PRF de Santa Terezinha de Itaipu, na BR-277), um veículo com placas de Franca, São Paulo, foi apreendido.

Nele havia um grande carregamento de produtos de informática contrabandeados do Paraguai. Da mesma forma, o carro e o motorista detido foram encaminhados à delegacia da Receita Federal de Foz do Iguaçu. Todos os presos foram indiciados pelos crimes de contrabando e descaminho.