A violência na Vila Torres, Prado Velho, não para. Pela segunda vez neste mês a população presenciou assassinato cometido com vários tiros. O crime aconteceu ontem  (11) de manhã, em um cruzamento da Rua Manoel Martins de Abreu, a mais violenta da favela. A vítima, ainda não identificada, tinha pouco mais de 30 anos, segundo o Instituto Médico-Legal. De acordo com o delegado Fábio Amaro, da Delegacia de Homicídios, foram recolhidos 13 estojos de pistola 380 no local. No corpo havia pelo menos quatro perfurações de tiros nas costas.

O delegado acredita que a vítima conseguiu andar pelo menos 60 metros antes de cair. Na mão do homem foram encontrados um talão de cheque e documentos pessoais de terceiros. ‘Como ainda não temos a identificação da vítima, não temos como saber se a morte foi motivada por vingança, rixas de gangues ou mesmo outra razão’, disse o Fábio.

O crime foi cometido no cruzamento das ruas Manoel Martins e Baltazar Carrasco dos Reis. Somente neste ano, três assassinatos ocorreram na vila, todas nesta mesma rua. No último trimestre do ano passado, foram outros oito homicídios na via, que corta o bairro da parte norte até a extremidade sul, nas proximidades da Linha Verde. As vítimas eram todas homens, com idades entre 18 e 45 anos.

A polícia investiga se há relação entre os documentos e o talão de cheques encontrados com a vítima e sua morte. O homem estava descalço. Vestia bermuda preta e camiseta bege.

Copa

Às vésperas de receber os turistas, por conta da Copa do Mundo da Fifa 2014, a onda de violência que toma conta da Vila Torres, desde o fim do ano passado, tem trazido preocupação às autoridades e à população. Usuários de crack perambulam pela região e pedem dinheiro na maioria dos semáforos.

Localizada bem no corredor urbano que recebeu um dos principais investimentos para obras de revitalização para a Copa, entre Curitiba e o aeroporto Afonso Pena, em São José dos Pinhais, a Vila Torres segue com seus confrontos de gangues pelo comando do tráfico.