Marcos apresentava várias lesões
na cabeça e nada foi roubado.

Manchas de sangue na porta entreaberta de um caminhão estacionado à margem da BR-116, quilômetro 68, em Campina Grande do Sul, indicavam que algo de estranho havia ocorrido ali durante a madrugada. Ao olhar pela janela do veículo, um curioso encontrou o corpo do motorista Marco Antônio Bebber caído no banco do passageiro. A vítima apresentava lesões na cabeça, mas a perita da Polícia Científica não conseguiu determinar se os ferimentos foram causados por arma de fogo ou outro objeto contundente.

O investigador Antunes, da delegacia local, informou que o interior da cabine estava cheio de sangue, mas descartou a hipótese de latrocínio (roubo seguido de morte). “A cabine não estava revirada e a vítima estava com a carteira com dinheiro, cheque e documentos. O telefone celular também não foi levado”, disse o policial. A carga transportada no caminhão não foi mexida e tem valor estimado em R$ 1 milhão.

Prostitutas

O que motivou o crime e a autoria ainda é mistério para a polícia. Naquela localidade há pontos de prostituição e o envolvimento do motorista com alguma prostituta e posterior desacerto é uma hipótese a ser investigada. Um comerciante da região contou à polícia que o caminhão já estava parado naquele local desde o meio-dia de segunda-feira, mas que durante a madrugada não ouviu nada de estranho nas proximidades. Outra pessoa disse que entre 3h e 4h ouviu gritos vindos do local, mas não disparos. Antunes confirmou que foram encontrados vestígios de uso de arma de fogo, no lado de dentro da porta do motorista e no assoalho.