Um motorista, funcionário do Instituto Médico-Legal (IML), que não teve a identidade revelada, foi ouvido na tarde de ontem no Departamento de Investigações Sobre Narcóticos (Denarc). Ele era considerado testemunha-chave no caso da médica-legista e professora universitária Lubomira Verônica Oliva, 62 anos, suspeita de retirar ilegalmente órgãos humanos.

Segundo o delegado Cassiano Alfiero, o motorista era responsável por transportar os órgãos do IML para a Universidade Federal do Paraná, e o fazia isso sem saber que era ilegal.