O descuido ao prender o capacete foi fatal para Ewerton Natalino Taborda, 28 anos, na manhã de ontem. Ele conduzia a Honda Biz placa ANY-6102 pela Rua Trajano Reis, São Francisco, a caminho da empresa de turismo onde trabalhava. Por volta das 8h, foi fechado pelo ônibus placa AGZ-5963, de outra empresa do ramo, que entrava na Rua Paula Gomes. Acredita-se que o ônibus abriu espaço para completar a conversão e o motociclista acelerou para ultrapassá-lo pela esquerda.

A motorista do veículo informou ao Batalhão de Polícia de Trânsito (BPTran) que não viu a motocicleta e parou assim que ouviu o barulho da colisão. O motociclista foi arremessado na calçada, e o capacete escapou. Ewerton bateu a cabeça no meio-fio e morreu na hora.

A condutora do ônibus ainda tentou chamar o Siate, mas não havia mais nada a ser feito pela vida do rapaz. Segundo o tenente Giovani, dos bombeiros, se a vítima estivesse com o capacete, de tamanho adequado e bem preso à cabeça, talvez tivesse resistido aos ferimentos.

Outro

Acidente semelhante aconteceu no bairro Vista Alegre, minutos antes. Um guincho foi para a direita, para abrir completar uma conversão à esquerda da Rua João Tschannerl para a Rua Nicolo Paganini, e a condutora de um Fiesta tentou ultrapassá-lo pela esquerda. Os dois veículos bateram, mas ninguém ficou ferido. A motorista seguia para o trabalho, atrasada, e o condutor do guincho iria buscar um veículo com problemas mecânicos.