“É tiro!” foi a última frase ouvida por Claudinei José de Souza, 33 anos, antes de receber cinco disparos de arma de fogo na cabeça. Ele estava jogando sinuca em um bar da Rua Darci Jungles, Cajuru. O homem teria visitado a mãe pela manhã.

O soldado Mazeppa, da Polícia Militar, informou que o assassino entrou no bar enquanto todos jogavam, atirou em Claudinei, e fugiu. Testemunhas relataram que o assassino é moreno, usava óculos, calça de agasalho azul e blusa marrom.

Familiares informaram que Claudinei era usuário de drogas e não tinha emprego fixo. Mas disseram não saber de nenhuma dívida contraída por ele e nem se tinha inimizades. Recentemente ele tinha levado um tiro de raspão no pescoço. A mãe pediu aos policiais para entrar no bar duas vezes para se despedir do rapaz.