O que seria mais um dia normal de trabalho para o marceneiro Messias Madureira, 49 anos, se transformou em tragédia, na manhã de ontem. No caminho até o ponto de ônibus, na Rua José Ursolino Filho, Santa Cândida, ele foi surpreendido por três indivíduos e recebeu voz de assalto.

Um dos marginais discutiu com Messias e o esfaqueou. Os bandidos fugiram com a carteira da vítima, com apenas R$ 3,70. O marceneiro foi socorrido pelo Siate, mas chegou sem vida ao Hospital Cajuru.

Segundo Luiz Carlos de Oliveira, delegado titular da Delegacia de Furtos e Roubos, a polícia investiga se o crime foi mesmo latrocínio (roubo com morte). “O caso é estranho, principalmente pela quantia que levaram. Pela forma como agiram pode ser um homicídio e Messias ter feito algum inimigo”, disse.

Testemunhas

O crime aconteceu por volta das 8h, poucos minutos após Messias deixar sua residência. Testemunhas perceberam quando os marginais anunciaram o assalto, porém não perceberam se a vítima reagiu.

“Ele levou a mão até o bolso. Nesse momento, um dos bandidos, que vestia uma blusa camuflada, começou a gritar com Messias e o esfaqueou na barriga”, relatou o cabo Moresqui, do 20.º Batalhão da Polícia Militar. O marceneiro ainda levou duas facadas nas costas.

A violência foi tanta que quebrou a lâmina da faca, abandonada no local. “Os assaltantes pegaram a carteira da vítima e fugiram para um matagal”, contou o policial.

Policiais militares realizaram buscas, mas não localizaram nenhum suspeito. “Dois deles estavam com blusas camufladas e o outro vestia moletom preto”, informou Moresqui. Existe a suspeita de eles terem assaltado uma farmácia, também no Santa Cândida, minutos antes do latrocínio.