Um golpe com uma barra de ferro durante assalto tirou a vida do vendedor Cláudio Gonçalves de Oliveira, 36 anos. Ele morreu quinta-feira à tarde no Hospital Evangélico, oito dias depois de ser agredido por quatro homens em frente à sua casa, na Rua Salvador José Correia Coelho, CIC. O apelido de um dos autores foi apurado pela Delegacia de Homicídios.

O irmão Ubiratan, 41 anos, relatou à DH que o vendedor bebia cerveja numa barraquinha de cachorro-quente no fim da noite de 12 de fevereiro. Quatro desconhecidos se aproximaram e falaram para Cláudio pagar-lhes uma bebida, pedido que foi recusado. Ao sair, o vendedor foi seguido pelos homens, que o abordaram perto da casa dele. Um dos homens desferiu um violento golpe com a barra de ferro na cabeça de Cláudio, que caiu. Os desconhecidos aproveitaram para tomar todo o dinheiro que ele carregava no bolso Å cerca de R$ 60,00.

O vendedor levantou-se, arrastou-se até sua residência e foi levado pela mãe ao Hospital Evangélico. No dia seguinte os médicos o liberaram, mas na última terça-feira Cláudio sentiu-se mal e retornou ao hospital, morrendo dois dias depois.

Enquanto estava consciente, Cláudio disse aos parentes que o homem que o golpeou é conhecido como “Sumido” ou “Sumiço”. As circunstâncias exatas do crime ainda serão apuradas pela DH. “Ao que tudo indica foi mesmo um assalto. Mas é preciso investigar melhor para ver se o caso toma outros contornos”, disse o superintendente Neimir Cristóvão, da DH. Se o latrocínio for confirmado, o inquérito passa às mãos da Delegacia de Furtos e Roubos.