Alberto Melnechuky
Populares revoltados quase lincharam bandido baleado.

Depois de sofrer três assaltos, Eliseu Menegali, 42 anos, dono de uma farmácia na Vila Nossa Senhora da Luz, CIC, resolveu dar um basta na situação e comprou uma arma para se defender. Sua atitude, no entanto, culminou na própria morte. Depois de matar um bandido e ferir outro, ao reagir a mais um assalto, o comerciante foi assassinado na noite de sábado.

Por volta das 20h30, Eliseu estava na farmácia Farmaliz, na Rua Antônio de Oliveira Santos, quando três indivíduos invadiram o estabelecimento.

O proprietário entregou o dinheiro, mas a indignação impediu que ele ficasse mais uma vez calado. Apanhou seu revólver calibre 38 e correu atrás dos marginais, iniciando uma troca de tiros na rua. Baleou Adriano Soares da Rocha, 23 anos, nas costas, e o comparsa dele, identificado como Edson, na barriga. O terceiro bandido conseguiu escapar.

Adriano morreu no local, mas Edson, mesmo ferido, atirou duas vezes contra o comerciante, que também morreu na rua. Edson não conseguiu escapar e permaneceu ali até a chegada de socorristas do Siate. Enquanto a polícia não chegava, moradores da região tentaram linchá-lo. Ele foi algemado e hospitalizado.

O delegado Rubens Recalcatti, titular da Delegacia de Furtos e Roubos, foi até o local. ?Como o autor do crime já foi preso, nós iremos trabalhar para identificar o terceiro marginal que fugiu. O assaltante que morreu, Adriano, já tinha passagem por assalto e era foragido da Colônia Penal Agrícola?, disse o delegado.