Eduardo Valenza.

Um misterioso desaparecimento está preocupando os familiares de Eduardo Valenza, 20 anos. Ele sumiu na tarde de terça-feira, após telefonar para a noiva informando que havia sido assaltado e que gostaria que a polícia fosse avisada. Depois dessa fala, o telefone ficou mudo e o rapaz não deu mais notícias e tampouco foi visto. A Delegacia de Vigilância e Captura (DVC) já foi comunicada e registrou o desaparecimento do jovem. Há possibilidade de que ele tenha sido vítima de um seqüestro-relâmpago, pois no dia do seu sumiço foi retirada a quantia de R$ 500,00 de sua conta corrente.

Segundo informações da família, Eduardo dormiu na casa da noiva, no Uberaba, e saiu de lá no início da tarde de terça-feira com destino ao Hospital das Nações, para ir trabalhar. Saiu inclusive vestido com a roupa do serviço: camisa verde clara, calça verde e uma jaqueta.

Por volta das 15h30, ligaram do hospital para a família informando que Eduardo não tinha comparecido ainda no trabalho. Nesse mesmo horário, o jovem foi visto pelo seu cunhado – que trabalha na Urbs – na Rodoferroviária, sentado em um banco como se estivesse para embarcar em algum ônibus. O cunhado foi conversar com Eduardo que estaria com um "ar meio estranho". Indagado sobre o que fazia na Rodoferroviária, o jovem respondeu que estava à espera de sua mãe. "Pela voz, o Eduardo parecia meio acuado", contou Alice, tia do rapaz.

Chamado

Às 15h45, a noiva do rapaz recebeu uma ligação telefônica na qual Eduardo pedia socorro, pois havia sido assaltado. "Chame a polícia", teria sido a última frase dele, antes que a ligação caísse. Depois disso, os familiares de Eduardo começaram a procurá-lo e acionaram a polícia. Os cartões de banco e crédito foram cancelados assim como o celular que ele carregava. "Fizemos várias ligações para ele, mas como não houve resposta decidimos bloqueá-lo", contou a tia.

Durante as verificações na conta corrente do rapaz, a família detectou que por volta das 14h30 houve um saque de R$ 500,00 da conta de Eduardo. Segundo Alice, seu sobrinho estava vivendo um ótimo momento na vida e se preparava para casar nos próximos meses. "Ele não tinha nenhum problema de relacionamento com a família ou com a noiva. Sempre foi um ótimo rapaz", afirmou.

A família está solicitando autorização para realizar um rastreamento e descobrir de qual orelhão foi feita a ligação com o pedido de socorro. Também quer ter acesso ao sistema de vigilância por câmeras da Rodoferroviária para saber se aparece Eduardo embarcando em algum ônibus e se está acompanhado por alguém. "Ele não tinha motivos para desaparecer", finaliza Alice.

Qualquer informação sobre o paradeiro do rapaz deve ser encaminhada à Delegacia de Vigilância e Capturas pelo telefone 322-1653.