Foto: Portos Casela
Marginal colidiu o táxi roubado contra um poste.

Após executar com cinco tiros Emerson Gaetner, 24 anos, Sidnei Zapella Prudêncio, 18 anos, praticou vários roubos, se envolveu em um acidente e quase foi linchado, na madrugada de ontem. O jovem foi "salvo" por policiais militares, que o conduziram ao Hospital do Trabalhador, onde Sidnei permanecia internado ontem, escoltado por policiais militares.

De acordo com informações da Polícia Militar, Sidnei foi até a Rua São José dos Pinhais, no Sítio Cercado, onde se encontrou com Emerson, por volta das 2h. Armado com um revólver calibre 38, de sete tiros, ele descarregou a arma, acertando cinco tiros em Emerson. Em seguida, saiu correndo e deparou com o proprietário da motocicleta Honda CG-125, placa AIX-5825. Nervoso, ele pediu as chaves do veículo e avisou que já havia matado um na mesma rua.

Pouco depois, ele foi até um posto de gasolina nas proximidades do Terminal do Sítio Cercado, onde abandonou a motocicleta e tentou tomar em assalto um Fiat Uno. Sidnei chegou a colocar a arma dentro da boca do proprietário do carro, mas não conseguiu concretizar o roubo. O jovem saiu correndo e foi até o ponto de táxi. Ele embarcou no Vectra, placa AMC-0704, e anunciou o roubo. "Eu estava conversando com um colega de trabalho. Ele entrou pela porta de trás e disse para o outro motorista sair fora. Depois disse: ‘rachando para Colombo’. Ele ficou com a arma na minha cabeça", lembra o taxista Antônio Sérgio Sureck, 40 anos. Mesmo nervoso, o motorista avisou o marginal que não conseguiria dirigir nem correr com a arma apontada na cabeça, sugerindo que o próprio assaltante conduzisse o veículo. O jovem aceitou a sugestão, mandou que o taxista parasse o carro e ordenou que ele ficasse ali, sem saber que os colegas do taxista já haviam acionado a polícia e estavam logo atrás. Assim que Antônio desembarcou, os outros taxistas se aproximaram do Vectra. Na tentativa de fugir, Sidnei acabou colidindo o carro contra um poste, na rua Dante Onório, no Xaxim.

O jovem abandonou o carro, gritou com algumas pessoas que estavam na rua e invadiu uma casa. Depois telefonou para alguém, provavelmente um comparsa, pedindo que fosse buscá-lo. Percebendo que o rapaz havia deixado a arma dentro do carro, populares invadiram a casa e tiraram Sidnei do local. Por pouco o jovem não foi linchado.