Um casamento de 19 anos terminou de forma trágica em Araucária, na madrugada desta terça-feira (06). José Guilherme da Silva, 48 anos, atraiu a esposa até a residência onde ele vivia apenas com as filhas, desde a separação do casal. Depois que as meninas se despediram da mãe e foram dormir, ele amarrou as mãos da vítima, a enforcou, desferiu vários golpes de faca nela e fugiu. Ele ligou para parentes em Santa Catarina para contar o que fez.

Segundo a família, Adriana Lenite Neves da Silva, 39 anos, terminava um mestrado em Direito e foi aprovada no exame da Ordem dos Advogados do Brasil há pouco tempo. Ela se separou de José Guilherme há mais de um mês, e morava com o pai, na Cidade Industrial de Curitiba. Em depoimento à Polícia Civil, familiares da vítima relataram que ela estava ‘cansada das grosserias‘ do marido.

Por volta das 19h30 de segunda-feira, José Guilherme ligou para Adriana pedindo que ela o acompanhasse ao mercado para comprar comida para as filhas de 12 e 16 anos. O casal foi ao mercado, voltou para a residência, na Rua Jonet Zanetti Silva, no bairro Tindiquera, em Araucária, e Adriana aproveitou o tempo para matar as saudades das filhas.

No final da noite, José Guilherme falou para as filhas se despedirem da mãe, porque ele a levaria novamente para a casa do pai dela. As meninas deram o último beijo em Adriana, e foram dormir. O casal teve uma longa conversa, que terminou em uma intensa discussão.

Na garagem da casa, por volta das 2h, José Guilherme amarrou as mãos de Adriana com uma faixa, a enforcou e desferiu mais de cinco facadas entre o rosto e o pescoço da mulher. Ele fugiu em um Corsa cinza e ligou para uma parente, em Santa Catarina, contando que matou a esposa por enforcamento.

A parente de José Guilherme ligou para a irmã de Adriana contando a situação, e familiares da mulher a encontraram morta na garagem. Eles foram até o quarto das adolescentes para evitar que elas vissem a mãe morta, e acionaram a Polícia Militar.

A polícia não descarta a possibilidade de que ele tente fugir para a casa de parentes no estado vizinho. Policiais rodoviários estaduais e federais receberam informações sobre as características de José e do veículo, mas até o final da manhã ele ainda não havia sido localizado.