Não há pistas do autor do
assassinato de Lourival Pereira.

O maquinista Lourival Lopes Pereira, 24 anos, preparava-se para sair de casa rumo ao serviço, na América Latina Logística (ALL), quando foi impedido por um assassino, às 6h de ontem. O rapaz abriu a porta da residência, na Rua Girassóis, Nova Morada, em Almirante Tamandaré, e foi baleado na barriga e na cabeça. Lourival caiu entre a cozinha e a sala, onde foi encontrado pouco depois.

Conforme apurado pelos soldados Afonso e Nívea, do 17.º Batalhão da Polícia Militar, os vizinhos só disseram ter ouvido tiros e o barulho de um carro fugindo do local. “Não foram passadas as características do veículo, muito menos de quem atirou”, disse Afonso. Aparentemente, nada foi roubado da casa e o carro de Lourival permaneceu na garagem, ainda com o alarme ligado.

Mistério

Na noite anterior, Lourival estava na casa de sua mãe, naquele mesmo bairro, comendo pinhão e tomando vinho com a família, conforme relatou seu irmão, Lucas. O maquinista voltou para casa às 23h30, porque tinha que acordar cedo no domingo, para ir trabalhar. “Ele sempre honrava seus compromissos de trabalho”, disse Lucas, sem entender o que poderia ter motivado o crime. O irmão da vítima apenas comentou que Lourival gostava de freqüentar bailes.

Lourival morava sozinho naquela casa há cerca de dois anos. Ele estava separado da mulher, com quem tinha um filho. Na manhã de ontem, um vizinho estranhou que, ao passar em frente da residência do maquinista, apesar do frio, a porta estivesse aberta. Ele também percebeu que a televisão estava ligada e resolveu entrar para ver se estava tudo bem com Lourival. Encontrou o corpo da vítima caído atrás da porta e avisou a família, que por sua vez, acionou a polícia.