enkontra.com
Fechar busca

Painel do Crime

Mapa leva polícia a autores de latrocínio

  • Por Valéria Biembengut
Mapa deixado na porta do Teatro da Praça.

Um mapa pregado na parede do Teatro da Praça Municipal de Araucária era a peça que faltava para a polícia prender os autores do latrocínio do diretor do teatro da Eliseu Voronkoff, morto com 40 golpes de faca, na madrugada de terça-feira de Carnaval – 4 de março. Leandro Antônio do Valle (foto), 19 anos, e um garoto, 16, foram presos. O menor confessou e forneceu detalhes do que ocorreu naquela madrugada. O maior nega participação no crime.

Alguém quis ajudar a polícia na elucidação do caso e manter-se no anonimato. Deixou um bilhete em sofrido português colado na parte o teatro. “Os assassinos do diretor do teadro morão no Planalto. Um chama Alexes. Vamos fazer justiça. Quem axar este mapa entre em contato com a PM, obrigação” (sic). No mesmo pedaço de papel havia um mapa indicando duas casas no Jardim Planalto. Uma era a menor e a outra não tinha a identificação do proprietário. Apesar da pouca instrução (ou de ter demonstrado isso propositadamente), quem fez o mapa conseguiu ajudar a polícia a elucidar o caso.

O delegado Jairo Amódio Estorílio informou que o teatro está em reforma e o bilhete foi encontrado pelo chefe da obra, que chegou ao local às 7h10 de quarta-feira e o entregou à polícia. No mesmo dia, investigadores da Delegacia de Araucária se dirigiram até o local indicado pelo denunciante e detiveram os dois.

Investigações

O delegado disse que o encontro do corpo da vítima aconteceu às 6h, em um matagal, próximo ao Parque Cachoeira e também próximo a casa dos autores. Após o crime, policiais ouviram vários amigos da vítima. “Eles forneceram o nome do menor, mas de outras cinco pessoas também. Estávamos apurando. O mapa foi fundamental, informou o delegado. “Verificamos que havia várias ligações do menor para o telefone de Eliseu. Como as testemunhas também haviam afirmado aos policiais que a vítima tinha relacionamento com um jovem que morava no bairro Planalto, as peças foram juntadas e o caso concluído. “O menor admitiu sua ligação com a vítima”, ressaltou o delegado. Ele também mostrou à polícia o local onde deixou o carro da vítima, um matagal próximo ao 11.º Distrito. “Diante dos fatos, solicitamos a prisão de Leandro, que de acordo com as investigações foi o autor das facadas”, acrescentou.

Morte

O garoto contou que na madrugada de terça-feira de Carnaval esteve na casa de Eliseu, por volta das 2h, e tomou cerveja e vinho. “Eu conheci o Eliseu na rua. Ele parou e perguntou se eu não queria fazer um programa com ele. Não topei. Ele disse que se eu indicasse alguém me daria R$ 10,00. Então, apresentei o Leandro”, relatou o adolescente. “Naquele dia eu e o Leandro fomos na casa do Eliseu. Conversamos, tomamos cerveja e fumamos. Depois o Leandro foi para o quarto com ele. Ficaram lá aproximadamente meia hora. Depois saímos, eu fiquei no ponto de ônibus e eles continuaram”, relatou o garoto.

Segundo o menor, Leandro retornou com o carro da vítima, um Ford KA, de cor azul, e os dois levaram o veículo até o matagal, retirando apenas o toca-Cds. “Só soube que o Eliseu estava morto depois, quando vi no jornal”, argumentou o jovem. Já Leandro nega qualquer envolvimento com a vítima.

O delegado disse que o carro foi encontrado totalmente depenado. “É possível que outras pessoas tenham retirado as peças do veículo. Porém, o local em que o carro foi deixado só mesmo quem participou poderia saber”, frisou o policial.

Siga a Tribuna do Paraná
e acompanhe mais novidades

Deixe um comentário

avatar
300

Seja o Primeiro a Comentar!


wpDiscuz

Últimas Notícias

Mais comentadas