Com a chegada do fim do ano, aumenta o número de vítimas do golpe do bilhete premiado. Foram dois casos, nas últimas duas semanas, registrados pela Delegacia de Estelionato e Desvio de Cargas (DEDC). Num deles, a vítima perdeu R$ 125 mil em dinheiro e jóias. No outro, a pessoa entregou 78 mil euros, perto de R$ 140 mil. As vítimas, na maioria das vezes, são mulheres idosas.

O delegado Vinícius Borges, da DEDC, explicou que um dos golpistas alega ter ganho um prêmio na loteria, mas não sabe como fazer para resgatá-lo e pede ajuda. A vítima, compadecida com a simplicidade e desconhecimento da pessoa, se prontifica a ajudar. É quando chega o golpista mais “esclarecido” e “explica” o que deve ser feito. O suposto ganhador da loteria se mostra feliz com as ajudas e promete dividir o prêmio.

Entrega

A pessoa “esclarecida” convence a vítima a sacar altas quantias e entregar bens valiosos, principalmente jóias. Depois, a dupla de estelionatários some com os valores da vítima, que só percebe o golpe depois que se vê sozinha e sem nenhum bilhete premiado.

O delegado explica que 95% das vítimas deste golpe tem o mesmo perfil: são idosas, principalmente mulheres, moram sozinhas e entregam as economias de toda a vida. O delegado divulgou as imagens de câmeras de segurança de uma loja e da residência da vítima da semana passada. Quem souber quem são os golpistas mostrados nas imagens, devem ajudar a DEDC com informações: (41) 3365-3748.