Três mulheres foram encontradas mortas, ontem. Duas foram assassinadas a tiros e apenas uma está identificada. A terceira vítima estava há dias dentro de uma casa alugada, com um corte no pescoço. Só este ano, já são 15 mulheres vítimas de homicídio em Curitiba e região.

Desaparecida desde a madrugada de domingo, Naiane Redkva, 27 anos, foi encontrada morta, por volta do meio-dia de ontem, no Parque Atuba, em Curitiba. O cadáver foi visto boiando nas águas do Rio Atuba, ao lado de uma ponte, a poucos metros da Rua Pintor Ricardo Krieger.

A mulher foi morta com dois tiros no peito e, segundo familiares, o crime aconteceu na madrugada de domingo, no Santa Cândida, onde ela morava. De acordo com os guardas municipais Carstens e Maurício Peixoto, que trabalham no parque, familiares de Naiane contaram que ela era usuária de drogas desde os 12 anos.

“A mãe chegou a comentar que já esperava a morte da filha, por conta de seu envolvimento com as drogas”, disse Carstens. Porém, os parentes não souberam dizer quem teria cometido o crime.

Desaparecida

Na madrugada de domingo, Naiane não voltou para casa. Surgiram comentários que ela havia sido baleada próximo à Estrada Velha do Santa Cândida e, depois, jogada no rio.

Na noite de anteontem, policiais militares e investigadores da Delegacia de Homicídios foram até o local, mas encontraram apenas manchas de sangue. Ontem, confirmaram que o corpo foi levado pela correnteza até o Atuba.

Mata e joga faca no vaso

Giselle Ulbrich

Anderson Tozato
Carina estaria morta há cerca de uma semana.

A proprietária de uma casa foi verificar o imóvel de onde o inquilino havia saído e encontrou, no fim da tarde de ontem, o corpo de Carina Stanziak, 21 anos. A jovem estava caída na residência sem móveis, ao lado de uma garrafa de cachaça, e com ferimentos de agressão na cabeça e um corte no pescoço. Uma faca, suja de sangue foi achada no vaso sanitário.

Um vizinho contou que a pequena casa de fundos, na Rua João Leopoldo Jacomel, bairro Braga, em São José dos Pinhais, havia sido alugada, mas o morador já saíra do imóvel.

Conforme relatou, ele deveria ter entregado a chave à proprietária, mas não o fez. Os moradores não sabiam definir a relação de Carina com a pessoa que alugou a residência.

Investigação

Conforme estimaram os vizinhos, Carina estaria morta, trancada dentro da casa, há aproximadamente uma semana. Porém, somente exames no Instituto Médico-Legal poderão determinar a data da morte. O crime será investigado pela delegacia local.

No mato, com dois tiros

Marcelo Vellinho

Uma jovem, com idade entre 20 e 25 anos, foi encontrada morta, por volta das 11h30 de ontem, no bairro Monte Castelo, em Colombo. O corpo dela estava caído num matagal, próximo à Rua Papoula, com dois tiros no rosto.

De acordo com o cabo Coradin, do 17.º Batalhão da Polícia Militar, poucas informações puderam ser apuradas sobre o crime, já que não houve testemunhas.

“Por se tratar de um local um pouco afastado das residências, ninguém escutou tiros nem percebeu movimento estranho de pessoas. Os indícios são que ela não foi desovada, e sim, morta no local.” A delegacia do Alto Maracanã aguarda a identificação da vítima para iniciar as investigações. Ela vestia calça preta e blusa azul.