Foto: Anderson Tozato/O Estado

O motivo da morte de Marcelo é um mistério. O caso é investigado pela delegacia de São José.

Marcelo Gaspar de Rocha, de aproximadamente 22 anos, se divertia num bar na Rua Alexandre Foggiato, bairro Afonso Pena, em São José dos Pinhais, e não sabia que seus assassinos o esperavam na esquina. Por volta de 21h20, ele saiu do Restaurante e Lanchonete Tam, quando se deparou com os dois homens, e um deles atirou, atingindo Marcelo com quatro tiros na cabeça.

Segundo os soldados Dalton e Borges, do Projeto Povo Afonso Pena, é provável que Marcelo, ao perceber que seria morto, tentou se refugiar na residência atrás do bar, correndo para o portão de entrada ao lado do estabelecimento. Os pingos de sangue formavam um rastro, que vinha desde a entrada do portão da residência, até o meio da rua, onde ele tombou morto.

Testemunhas, que estavam no bar, relataram aos policiais que viram os dois elementos aguardando na esquina, mas disseram não conhecê-los e também não souberam descrevê-los. Do outro lado da casa há uma fábrica, a Metalúrgica Magius, que tinha diversos funcionários trabalhando naquele momento. Entretanto, ninguém ouviu os tiros e nem viu o fato devido ao barulho das máquinas.

A vítima era moradora do mesmo bairro onde foi morto, não muito longe do bar. E o motivo pelo qual Marcelo foi assassinado ainda é um mistério, que será investigado pela delegacia de São José dos Pinhais.