O número de denúncias de agressões contra mulheres aumentou 107,9% de janeiro a junho deste ano, em comparação ao mesmo período de 2007. Os dados são da Central de Atendimento à Mulher Ligue 180, que realizou 121.891 atendimentos, enquanto no ano passado foram 58.417. A central atende denúncias de todo o País.

Os estados que lideram o ranking de denúncias são o Distrito Federal, São Paulo e Pará. O Paraná ocupa a 14.ª colocação. Esse aumento é decorrência da Lei 11.340, conhecida como Lei Maria da Penha, que protege mulheres vítimas de violência doméstica e familiar e pune com rigor o agressor.

A lei, que completou dois anos ontem, recebeu esse nome em homenagem à mulher que sofreu duas tentativas de assassinato pelo próprio marido e que ficou paraplégica.

Em comemoração ao aniversário da lei, foi divulgada uma pesquisa nacional realizada pelo Ibope, em parceira com a organização não-governamental (ong) Themis, do Rio Grande do Sul.

De acordo com a pesquisa, 68% dos brasileiros conhecem a lei Maria da Penha, e 83% acham que ela é eficaz. Entre os dias 17 e 21 de julho, foram entrevistadas 2.002 pessoas, em 142 cidades.

Para a delegada-titular da Delegacia da Mulher em Curitiba, Maria Fátima Crovador Bittencourt, a lei reflete o aumento no número de denúncias que a delegacia recebe.

“Desde que assumi a delegacia, em março desse ano, registramos 2.977 boletins de ocorrência, 4 mil inquéritos e, em média, de 90 a 100 agressores estão presos. A maioria das queixas é por lesão corporal. Porém ainda existem mulheres que não fazem a denúncia”, comenta.