Um humilde cobrador de ônibus de 60 anos foi a vítima do terceiro latrocínio da semana em Curitiba. Quando chegava em casa, após a noite de trabalho, às 2h de ontem, Benedito Camargo Filho foi morto a tiros na Rua Liberato Evangelista do Prado, esquina com Rua Fortaleza, Vila Centenário, Cajuru. Ele teria lutado contra o bandidos.

Benedito trabalhava na empresa Cristo Rei há 22 anos. Seu turno era das 18h à meia-noite, mas como tinha que comparecer à sede da empresa para acertar as contas do dia, sempre chegava em casa às 2h.

Ontem, voltou de táxi para o Centenário e andou um trecho de difícil acesso a pé. Bem em frente à residência, dois homens o atacaram e deram voz de assalto. Benedito reagiu e os vizinhos – incluindo parentes da vítima – escutaram gritos e tiros.

Gritos

Alertado pelo barulho, um filho de Benedito apareceu e logo encontrou o pai caído num córrego, ao lado da rua. Com ajuda de vizinhos, o rapaz retirou o cobrador da água, agonizante. Benedito morreu antes da chegada do Siate. Junto ao córrego estava uma bicicleta vermelha, que, provavelmente, pertencia a um dos assassinos e caiu em meio à luta.

O filho da vítima, ouvido pela Delegacia de Homicídios, disse não ter visto os autores. A polícia conta com informações de outros moradores da região para identificar os assassinos.

Na segunda e na terça-feira, o professor Teófilo Bacha Filho, 58 anos, e o arquiteto Samuel Hiramitsu Okino, 40, foram assassinados por assaltantes no Bigorrilho e Cidade Industrial, respectivamente. Os acusados da morte do professor já estão presos.