Em uma pequena casa bagunçada, suja e caindo aos pedaços, transformada em mocó, duas jovens foram mortas na madrugada de ontem, numa invasão do Jardim Arvoredo II, Rua Ourizona, em Araucária.

Entregues ao vício das drogas, as moradoras Adriana Regina da Silva, 24 anos, e Jenifer Novak Braúna, 20, foram assassinadas, cada uma com um tiro na nuca. Vizinhos escutaram os disparos por volta das 4h, mas, apenas no início da tarde, os corpos foram encontrados, no chão da sala.

Embora sejam poucas as informações sobre o duplo homicídio, já que a população pouco colaborou, a polícia não tem dúvidas que o pano de fundo é o tráfico de drogas.

“As duas jovens estavam largadas. Abandonaram os laços familiares por causa do crack”, disse o delegado Rubens Recalcatti. “Não só consumiam drogas, como também as vendiam para se sustentar.”

Latinhas de refrigerante e maricas cachimbo improvisado para fumar crack espalhadas pela casa comprovavam as informações da polícia. Os quartos, abarrotados de roupas sujas e lixo, confirmavam que Adriana e Jenifer já tinham abandonado o convívio social. Maltrapilhas e esfarrapadas, preocupavam-se apenas em usar drogas.

Investigações

Recalcatti suspeita que o crime tenha sido praticado por um traficante, provavelmente por conta de dívida. “Pela forma como as vítimas caíram, é possível que elas tenham tentado correr para fugir, mas foram baleadas pelas costas”, relatou o delegado.

Moradores ouviram os tiros, mas ninguém ligou para a polícia e, somente à tarde, o duplo assassinato foi constatado. Porém, como a vila é composta por muitas casas, uma do lado da outra, é possível que a vizinhança saiba quem matou as jovens.