Foto: Walter Alves

Corpo permanece sem identificação no IML.

Um adolescente, de aproximadamente 16 anos, foi encontrado morto, na manhã de ontem, com metade do corpo dentro de uma manilha de um afluente do Rio Passaúna, no bairro Ferraria, em Campo Largo. Ele foi atingido por um tiro no rosto e apresentava marcas de agressão, além de uma corda em volta do pescoço. A polícia acredita que o adolescente tenha sido desovado no local.

Segundo o superintendente Juscelino, da delegacia de Campo Largo, um motoqueiro que passava pela rua avistou o corpo, às 7h30, mas o crime provavelmente aconteceu durante a madrugada. ?O sangue da vítima ainda estava fresco quando os policiais chegaram?, explicou o superintendente. Um morador da região, que observava o trabalho da polícia, informou que ouviu disparos por volta das 20h30 da noite anterior, mas quando saiu à rua não percebeu nada. ?É comum ouvir tiros durante a noite, então, não sei se tem relação com essa morte?, disse.

De acordo com o perito Silvestre, do Instituto de Criminalística, as marcas no corpo indicavam que o garoto também foi agredido. ?Ele foi torturado, antes de ser executado?, afirmou o perito. A polícia contou que o disparo foi efetuado com a arma encostada no rosto da vítima.

Depois que o cadáver foi retirado da água, moradores se aproximaram na tentativa de identificar o jovem, mas sem sucesso. O garoto é moreno, magro, tem o cabelo raspado e vestia apenas uma bermuda de jeans escura e cuecas xadrez. ?Quem tiver informações sobre o rapaz, pode entrar em contato com a delegacia pelo telefone 3292-1202?, disse Juscelino. Uma característica que pode facilitar na identificação do rapaz é a tatuagem feita recentemente na perna esquerda, com a inscrição ?PIU?. O corpo foi encaminhado ao Instituo Médico-Legal, onde, até a noite de ontem, não havia sido identificado.