Com o objetivo de descobrir mais detalhes sobre o seqüestro da garotinha Luana de Oliveira Lopes, 8 anos, ocorrido no último domingo, em Florestópolis (interior do Estado), o Serviço de Investigação de Crianças Desaparecidas (Sicride) decidiu submeter o irmão dela – Diego de Oliveira Lopes, 10 anos – que testemunhou o fato, a uma hipnose regressiva. O garoto foi trazido para Curitiba e hoje, às 9h, será hipnotizado pelo perito Rui Sampaio, do Instituto de Criminalística. Segundo policiais do Sicride, depois do seqüestro Diego entrou em estado de choque e está tendo dificuldades para lembrar de alguns detalhes que podem ser essenciais para as investigações.

Na quarta-feira, os investigadores do órgão especializado estiveram na cidade de Florestópolis, mas não encontraram nenhuma pista do caminhoneiro que levou a garotinha. Segundo informações levantadas no local, a região abriga muitas fábricas de móveis e por isso é grande o número de caminhões modelo baú, o mesmo que era dirigido pelo seqüestrador, quando atacou as crianças.

Segundo o menino, o caminhoneiro parou o veículo na estrada e os perseguiu armado com um facão. Assustados, Diego e a irmã correram, mas foram alcançados. Ao persegui-lo, o desconhecido deixou a arma cair e não mais a encontrou. Diego foi agredido com vários chutes na cabeça até ficar desacordado. Os investigadores acreditam que ele iria matar o garoto e que só foi embora porque achou que tinha conseguido o feito.

Luana, que tinha saído com o irmão para buscar leite em uma chácara vizinha, foi levada pelo sujeito, que naquele dia vestia camiseta e chinelos brancos e bermuda azul. Qualquer informação sobre o caso podem ser dadas ao Sicride pelo telefone (41) 224-6822.