Ainda estão foragidas 22, das 25 presas libertadas do 9.º Distrito Policial (Santa Quitéria), na noite de sábado, durante um ousado arrebatamento em que uma ex-detenta foi usada como "isca". Ontem nenhum policial do distrito teve autorização para falar sobre o caso.

A ex-detenta Jaqueline Ferreira Correia, 24 anos, foi a "isca" para que um dos plantonistas abrisse a porta da delegacia para os dois criminosos, armados com uma minimetralhadora e duas pistolas, entrassem, rendessem o policial e abrissem as portas das celas para que as 90 detentas pudessem sair. Porém, 57 preferiram ficar. O objetivo era resgatar as traficantes internacionais Ângela dos Santos, 32 anos, e Denise do Prado Vieria, 24, presas na manhã do último dia 14 por agentes da Polícia Federal com cinco quilos de cocaína.

Após a criação dos Centros Integrados de Atendimento ao Cidadão (Ciac), os distritos de Curitiba permanecem com as portas trancadas depois do horário de expediente, que é das 8h às 18h. Também não funcionam nos fins de semana, sendo que as vítimas que precisam da ajuda policial, devem se dirigir aos Ciacs, que estão situados no 1.º Distrito (região central); 8.º Distrito (região sul) e 3.º Distrito (região norte). Porém, neste caso, a porta foi aberta para a entrada de uma ex-detenta, o que propiciou a invasão da delegacia e a fuga.

Procurado pela reportagem da Tribuna, para explicar o porquê do plantonista abrir a porta para uma ex-presa, o delegado Rogério Haisi, titular do distrito, não foi encontrado. Apesar dos vários recados, ele não retornou as ligações. A Secretaria de Segurança também não deu informações sobre o caso.