A médica Cristiane Babi, indiciada por omissão de socorro a José de Lima, de 24 anos – baleado no tórax durante um assalto a um ônibus da linha Curitiba-Piraquara, ocorrido na noite da última quarta-feira – prestou depoimento ontem, às 10 horas, na Delegacia de Pinhais, na região metropolitana de Curitiba. Durante pouco mais do que dez minutos, Cristiane prestou esclarecimentos ao delegado Noel Francisco da Silva.

A médica não quis falar com a imprensa. Segundo seu advogado, Rodrigo Pereira da Silva, ela declarou que estava atendendo outro paciente quando José chegou ao Hospital e Maternidade de Pinhais. No momento em que soube, por uma recepcionista, que havia um homem baleado dentro de um ônibus, se prontificou a prestar atendimento. “Quando Cristiane chegou até José, ele já estava morto e ela não pôde fazer mais nada. Em momento algum houve omissão de socorro”, disse Rodrigo.

A versão da médica contraria as declarações dadas pelos passageiros do ônibus, que socorreram José. De acordo com eles, os funcionários de plantão teriam informado que o hospital era particular e que o atendimento não poderia ser realizado. A omissão consta no boletim da Polícia Militar. “Os policiais descrevem que a vítima chegou com vida no hospital. Quando o procedimento foi recusado, a médica de plantão (Cristiane) levou uma bronca dos policiais. Mesmo assim, o atendimento não foi prestado”, informou o delegado.

Noel explicou que o depoimento da médica será levado ao Juizado Especial Criminal, onde o caso será julgado. Cristiane deverá prestar novo depoimento no Juizado Especial no próximo dia 3 de agosto, às 15h15min. Caso a omissão seja confirmada, ela poderá pegar pena alternativa (prestação de serviços à comunidade ou doações de cestas básicas) pelo período de até dois anos. “Omissão de socorro não prevê pena de detenção”, afirmou o delegado.

Crime

No ônibus em que ocorreu o assalto viajavam 30 passageiros. Por volta das 22h10min, dois deles, que embarcaram na Praça Santos Andrade, em Curitiba, se levantaram com revólveres em punho e mandaram que todos entregassem seus pertences. José de Lima não obedeceu e partiu para cima de um dos assaltantes, sendo baleado no peito. Nas proximidades do supermercado Carrefour, os assaltantes fugiram e o motorista de ônibus se dirigiu ao hospital.

A Polícia Militar conta já ter identificado os assaltantes, mas até o final da manhã de ontem eles ainda não haviam sido detidos.

Assassino já identificado

Uma verdadeira caçada está sendo feita para capturar os dois assaltantes, que nos últimos meses, vêm aterrorizando os coletivos que percorrem a linha Curitiba-Piraquara. De acordo com os investigadores da Delegacia de Pinhais há suspeitas que a dupla tenha fugido para o litoral do Estado, e uma equipe deve ser deslocada para lá ainda neste final de semana. A mais recente ação dos bandidos aconteceu na noite de quarta-feira e resultou na morte do passageiro José Laudelino de Lima, 25 anos. Ele foi baleado no peito ao tentar enfrentar os marginais.

De acordo com o superintende Barbosa, da delegacia de Pinhais, a autoria do crime já é conhecida. As investigações apontam um menor, já identificado, e um outro homem, ainda desconhecido, mas que pode ser irmão do menor. “Além disso, ligações anônimas estão nos ajudando bastante a localizá-los. Prendê-los é apenas uma questão de tempo”, promete o policial.

Na manhã de ontem os investigadores realizaram buscas pela região próxima aos locais de assalto e chegaram até um “mocó”, que serviria de abrigo aos bandidos. O esconderijo estava vazio, mas dentro dele foram encontrados vários objetos, provavelmente provenientes dos roubos, como óculos de sol, relógios e aparelhos celulares. A polícia também foi até a casa da tia do menor, que alegou que o sobrinho fugiu para o litoral do Estado. “Em principio não acreditamos nisso, mas como eles não foram encontrados é bem possível que tenham viajado”, disse Barbosa. No final da tarde de ontem o superintendente solicitou a liberação de uma equipe para fazer as buscas no litoral, já que, segundo ele, é de extrema urgência a resolução desse caso.

Reconhecidos

Os suspeitos foram apontados a partir das descrições fornecidas pelos motoristas e cobradores que foram vítimas da dupla. Desde o mês de dezembro a delegacia de Pinhais registrou quatro assaltos, cometidos pelos mesmos bandidos. “Eles agem sempre do mesmo jeito, ou embarcam em Curitiba ou aguardam no ponto de ônibus em frente ao supermercado Carrefour, em Pinhais, e depois de fazer o arrastão nos passageiros e limpar o caixa do ônibus, descem em frente a Sanepar, na Avenida João Leopoldo Jacomel”, finalizou Barbosa. (PC)