Um caminhão, transportando 83 galões de 250 litros de cloro concentrado e um galão de soda cáustica, sem a menor segurança, foi interceptado por policiais da Delegacia do Meio Ambiente, quando passava pela BR-116, próximo a Ceasa, no Tatuquara. O produto, que deveria ser transportado por um caminhão tanque, estava acomodado em tonéis, sem lacre e sem identificação.

De acordo com o delegado Wilceomar Voltaire Garcia, a falta dessas orientações pode causar acidentes para quem manuseia o material. “Esse produto, na forma concentrada, é altamente corrosivo e, em caso de um acidente na estrada, pode causar danos incalculáveis para o meio ambiente e para as pessoas envolvidas. A carga iria atravessar o Brasil de uma forma completamente arriscada”, explicou.

O motorista, que mora no Acre, aceitou transportar a carga da Fábrica Mazarolo, de Garuva (SC). Ele está preso na Delegacia do Meio Ambiente.